O Grupo Mauá é uma das poucas empresas rodoviárias no estado do Rio de Janeiro a possuir uma recauchutadora. O setor atua na reconstrução de pneus, aproveitando sua estrutura resistente, desde que esteja em boas condições de conservação.

Integrante do time, Ailton dos Santos conta orgulhoso como é trabalhar no setor. “A gente primeiro faz uma inspeção no pneu para ver se tem condições de reconstrução”, explica enquanto utiliza um equipamento que ajuda na análise.

Em seguida, o pneu vai para a outra máquina, a lixadeira, onde passa por um processo de raspagem, a fim de ficar com a superfície pronta para receber a borracha que vai dar nova vida ao produto.

Depois de aplicada a borracha, o pneu vai para um equipamento onde a mágica acontece: a máquina vulcanizadora. “Aqui é muito importante atentar para os números. São 151º de temperatura. Aí a gente aplica 240 libras de pressão durante 90 minutos”, detalha.
Durante as etapas de recauchutagem, Ailton explica que depois de 33 anos na empresa, ele ainda se sente feliz trabalhando. “Gosto do que eu faço e me sinto respeitado aqui na Mauá. A empresa se tornou minha segunda casa”, conta. Ele lembra que a Mauá foi o seu primeiro emprego. “Tudo que tenho, tudo que conquistei, eu devo a esta empresa”, completa.
Após a vulcanização, o pneu é cuidadosamente retirado. “Tem que ter muita atenção, pois está muito quente”, alerta Ailton. E então segue para uma etapa de 72 horas de resfriamento.